segunda-feira, 12 de abril de 2010

PESSOAS COM

FALTA DE AMOR

Quando presenciamos pessoas como o casal Nardoni, que foram condenados pela Justiça, por jogarem uma criança pela janela do apartamento, ou uma nação poderosíssima destruindo povos inocentes chegamos a conclusão de que as palavras de Jesus Cristo, sobre o principal mandamento, foram totalmente esquecidas: “O primeiro mandamento é: Ouve, Israel, O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de todas as tuas forças. E o segundo é este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que esses”. (Marcos 12:29-31)

É evidente que, amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos, é a única maneira para podermos obedecer todos os outros mandamentos ou leis que existem ou possam existir. Porque será que mesmo sabendo que é nosso dever amar o próximo o que fazemos é sempre ao contrário? A resposta é que verdadeiramente não amamos a Deus e muito menos o próximo, como bem relatou o Salvador quando explicava sua missão aqui na terra: “mas bem vos conheço, que não tendes o amor de Deus. Como podeis crer, vós que recebeis glória uns dos outros e não buscais a glória que vem do único Deus?” (João 5:42 e 44).

Jesus Cristo deseja que o busquemos de verdade, com o coração limpo, sem interesse pessoal, sem orgulho, ou achando que temos algum crédito. Temos que nos entregar totalmente a Ele e sabermos que este mundo onde vivemos atualmente é passageiro, e que Deus nos reservou uma morada eterna e maravilhosa.

Neste mundo, teremos sempre a companhia de pessoas que não amam a Deus e por este motivo cometem e irão cometer, até a sua morte eterna, coisas abomináveis para qualquer cidadão de bem. Mas nós que amamos a Deus não podemos dizer que as coisas que eles cometem são estranhas ou surpreendentes, pois nosso Senhor já nos deixou preparados para estes acontecimentos, conforme relatado em II Timóteo 3:1-5: “Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos; pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-se também destes”.

Fica comprovado que a vida neste mundo, não é nada fácil, pois essas pessoas fazem, quer queiram ou não, parte de nosso dia a dia, e nos afastarmos delas é uma missão que devemos vencer, em nosso viver diário, onde sempre devemos pensar o seguinte: Quanto mais longe dessas pessoas, mais perto do amor de Deus. Quanto mais perto dessas pessoas, mais longe Deus estará de nós. Afastar-se dessas pessoas, não significa deixar de amá-las, mas sim, não compactuarmos com o que elas fazem. Devemos sempre, orientá-las do caminho em que estão andando e buscar sempre ensinar o caminho em que devem andar, pois assim cumpriremos literalmente os dois mandamentos fundamentais ensinados por Jesus Cristo e que aparentemente estão no esquecimento, quais sejam: “Amar a Deus sobre todas as coisas e nosso próximo como a nós mesmos”.

E que o nosso Deus Todo Poderoso, continue nos abençoando.

Nenhum comentário: