quarta-feira, 22 de julho de 2009

A BATALHA DO PEDÁGIO

O EMPREGO E O MEIO AMBIENTE

A empresa OHL (Auto Pista) que está administrando a Rodovia Fernão Dias, vem sofrendo vários processos judiciais desde quando começou as obras de benfeitorias na BR 381. É bom lembrar a todos que a Fernão Dias era considerada a Rodovia da MORTE, quem é que não perdeu um amigo ou um parente vítima de acidente neste rodovia? Quem não viajava com medo todos os dias? Os riscos de acidente eram constantes.

O Governo Federal considerou-se incapaz de administrar a Rodovia e resolveu em um procedimento legal de Licitação entregar a Rodovia para ser administrada por empresa privada. Todos os documentos e autorizações necessárias e as exigências do governo federal estão sendo cumpridas pela empresa vencedora da licitação (OHL). A empresa já implantou no percurso todos os pedágios que foram autorizados pelo Governo Federal, apenas o que será implantado em Mairiporã ainda não está em funcionamento por brigas na Justiça.

Defensores do Meio Ambiente discutem vários assuntos, alegando problemas e mais problemas para o Município. Foram os mesmos defensores do Meio Ambiente que também por alegarem vários motivos sobre o Rodoanel, o Governo do Estado de São Paulo, mudou os planos e continuaram as obras em outros trechos e deixaram o de nossa cidade para outro governo.

Atualmente os combatentes contra o Rodoanel reclamam do trânsito na Avenida Tabelião Passarella, alegando que caminhões que estão transitando na Avenida trazem riscos a população, mas não informam que esses caminhões não estariam transitando se o Rodoanel estivesse pronto em nossa cidade. Defender o Meio Ambiente é importantíssimo, mas não podemos nos esquecer que a segurança da nossa gente também é importante e para que a segurança aconteça algumas atitudes as vezes danosa em parte ao Meio Ambiente acontece, e o que devemos lutar é por compensações em outros locais, como a empresa que criar o dano ao Meio Ambiente, plante arvorés em outros locais, mantenha áreas preservadas, etc. O que não podemos é querer o progresso mas não permitindo o desmatamento em área necessária.

O projeto que existe para evitar o trânsito na Avenida Tabelião Passarella, é o que liga o bairro do Barreiro ao Instituto Mairiporã e caso ele seja executado também trará desmatamentos, ou seja, para que as obras sejam realizadas precisamos as vezes desmatar alguma área.

Mairiporã já foi uma cidade pequena e relato isso porque aqui sou criado desde 1975, quando tinhamos liberdade de vir do bairro ao centro da cidade brincando pelas ruas, mas a realidade da cidade é outra atualmente, a cidade cresceu e o progresso demorou a chegar, infelismente com o progresso vem o desmatamento de áreas para criar avenidas, aumentar as estradas, implantar empresas, escola, etc. A cidade se tivesse o mesmo número de habitantes que em 1980 muitas destas obras não estariam sendo realizadas, mas muitos moradores da Capital resolveram vir morar em Mairiporã e com isso temos a necessidade de expandir a cidade. Vamos preservar sim mais sem proibir o crescimento da cidade, desmata em uma área, preservemos em outra, mas não nos esquecemos que vivemos em uma cidade.

Sobre o Pedágio, acredito que o local com o tempo vai ser entendido por todos como o mais adequado é questão de tempo para a grande maioria da população mairiporanense entender este assunto. Sou extremamente contrario a qualquer tipo pedágio, pois entendo que se já pagamos IPVA não existe a necessidade do Governo cobrar pedágio, mas reconheço também que o Governo considera-se fraco para administrar rodovias e passou a administração das rodovias para empresas, então elas para manterem o bom atendimento nas rodovias precisam de verbas e a única maneira é cobrando pedágios.

É bom relatar também que o pedágio que será cobrado na Rodovia Fernão Dias é o mais barato do Estado de São Paulo, além do que a empresa OHL, já esta gerando centenas de empregos diretos e indiretos para os brasileiros de Mairiporã, que estavam muitos deles desempregados e hoje levam seu pão para casa graças a obra da Auto Pista.

Fiscalizar e defender o Meio Ambiente é extremamente necessário, mas vamos lutar por compensações e não brigar contra as obras na Rodovia, pois a Rodovia Fernão Dias tem que estar pronta o mais rápido possível, para que esqueçamos que um dia a Rodovia Fernão Dias era a Rodovia da Morte.
CRESCIMENTO COM DESENVOLVIMENTO
É ISTO QUE O BRASIL PRECISA

Nenhum comentário: